Milhares de pessoas protestam em Jerusalém contra Netanyahu

Manifestantes exigem renúncia do primeiro-ministro, acusado de corrupção, fraude e quebra de confiança em três casos.

Próxima audiência está marcada para 19 de julho Israelenses protestam contra Benjamin Netanyahu do lado de fora da residência oficial do primeiro-ministro, em Jerusalem, na terça-feira (14) Menahem Kahana/AFP Milhares de pessoas protestaram nesta terça-feira (14) em Jerusalém contra o primeiro-ministro de Israel, Benjamin Netanyahu, acusado de corrupção em vários casos, exigindo sua renúncia. "A corrupção de Netanyahu nos deixa doente", "Netanyahu, renuncie", são as frases exibidas em cartazes por manifestantes do lado de fora da residência do primeiro-ministro, disseram jornalistas da AFP.

Um dos organizadores da manifestação, o general de reserva Amir Haskel, pediu ao público que aproveitasse este 14 de julho, "231º aniversário da Revolução Francesa", para "exigir liberdade, igualdade e fraternidade".

As forças policiais acompanharam o ato.

Os manifestantes usavam máscaras, mas não respeitavam a distância física obrigatória.

Israelenses protestam contra Benjamin Netanyahu do lado de fora da residência oficial do primeiro-ministro, em Jerusalem, na terça-feira (14) Menahem Kahana/AFP "O vírus mais mortífero não é o Covid-19, mas a corrupção", disse á AFP Laurent Cigé, que veio de Tel-Aviv para participar da manifestação.

Acusado por corrupção, fraude e quebra de confiança em três casos, Netanyahu enfrenta um processo cuja próxima audiência está marcada para 19 de julho.

Segundo a lei israelense, o primeiro-ministro não precisa renunciar se for condenado, mas apenas se for considerado culpado de um crime depois de esgotarem as instâncias legais, o que pode levar anos.

Categoria:Mundo